Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, III CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS DO LAZER | XVII Seminário Lazer em Debate

Tamanho da fonte: 
Recreação e Lazer em curso de Educação física: relato de experiência
Rafaella Belem Aragão

Última alteração: 2018-03-13

Resumo


RESUMO: Introdução: Atualmente, é cada vez mais crescente a possibilidade de formação e de atuação profissional no âmbito da Recreação e Lazer, no entanto, é preciso ampliar essa discussão nos cursos de formação em Educação Física. Objetivo: Relatar a experiência em ministrar uma aula de Recreação e Lazer na disciplina de infância I para os alunos da graduação na Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) da Universidade de São Paulo (USP), na qual não há, em sua grade curricular, nenhuma disciplina que contemple essa temática ao longo do curso. Método: Trata-se de um estudo descritivo para relatar a experiência de ministrar uma aula teórica e prática de Recreação e Lazer com carga horária de duas horas. A aula foi apresentada em duas etapas. Na primeira etapa foi feito todo um embasamento teórico sobre o conceito de Recreação e Lazer (o que é recreação e lazer a diferença entre Recreação e Lazer); as diferentes nomenclaturas do profissional de lazer, perfil e função do profissional do lazer, como monitor, recreador, recreacionista e outros. Foram apresentadas as áreas de conhecimento que, em sua grade curricular, também contempla disciplina de Recreação e Lazer (pedagogia, turismo), o campo de atuação que os alunos podem trabalhar, como hotéis, espaço de crianças, navios, festas, acampamentos, buffet, clubes e condomínios; o público alvo para se trabalhar com recreação e lazer e o perfil da atividade para cada faixa etária (crianças, adolescentes, terceira idade). Além disso, foram discutidas em sala de aula, questões acerca do mercado de trabalho, evidenciando quais são as empresas de Ribeirão Preto disponíveis no mercado de trabalho atualmente. Também foram apresentadas as relações de trabalho na área, bem como a remuneração ao profissional de lazer e como esta é calculada, além de tendências do mercado no segmento de recreação infantil, com ênfase na análise de academias que estão buscando estratégias para usar o tempo ocioso na empresa oferecendo aulas de recreação para crianças. Ao fim do embasamento teórico foi apresentada a justificativa da disciplina, ou seja, porque é importante estudar Recreação e Lazer no curso de educação física. Na segunda etapa foram realizadas atividades práticas na quadra poliesportiva em que os alunos tiveram oportunidade de vivenciar diferentes atividades, adequadas para cada faixa etária como tipos de atividades: dois gritos de silencio, uma atividade de quebra- gelo, duas rodas cantadas. Os tipos de gincanas foram: duas estafetas e uma gincana cultural. A aula teve a participação de 53 alunos que vivenciaram o Lazer e Recreação como mais uma forma de aprendizagem. Resultados: Ao vivenciar o campo do lazer e recreação os alunos demonstraram curiosidade e disposição para realizar as atividades propostas. A aula prática foi opcional e ainda assim apenas três alunos não participaram dessa atividade dentro da disciplina, todos os outros 50 participaram voluntariamente, mostrando que existe uma resposta positiva dos alunos e interesse pela temática. Conclusão: há uma carência de aulas de Recreação e Lazer nos cursos de Educação Física que não oferecem esta disciplina em sua grade curricular. Notou-se uma grande aceitação dos alunos para com o conteúdo, sendo este um segmento que vem crescendo a cada ano. Assim, sugere-se às Universidades e Faculdades que ainda não incluíram Recreação e Lazer como uma disciplina (mesmo que optativa) a futura inclusão dessa temática. Acredita-se que o aluno sairá do curso mais preparado para o mercado de trabalho, sendo capaz de aplicar os conhecimentos adquiridos nas áreas de atuação que vivenciam a Recreação e Lazer ou em outros seguimentos da Educação Física.

Palavras-chave


Recreação; Atividades de Lazer; Educação física e Treinamento.