Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, VI Congresso Sulbrasileiro de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS: COMPARAÇÃO DOS NÍVEIS DE FORÇA, FLEXIBILIDADE E EQUILÍBRIO/AGILIDADE DE IDOSOS ATIVOS E NÃO ATIVOS.
Valeria Feijo Martins, Vanessa Possamai, Clezio Gonçalves, Adriane Teixeira, Eliane Blessmann

Última alteração: 2012-08-01

Resumo


Introdução: a queda de idosos é um fator comprometedor da saúde, e apesar de ocorrerem com pessoas de todas as idades, quando acontecem com idosos às conseqüências passam a ser significativas. Objetivo: avaliar o risco de quedas em idosos praticantes e não praticantes de atividade física (AF) regular supervisionada, comparando níveis de força, flexibilidade e equilíbrio/agilidade. Amostra: grupo 1 (G1) não praticantes de af regular, grupo 2 (G2) praticantes de AF com uma frequência mínima de duas vezes por semana em um projeto de extensão universitária. Metodologia: para analisar o risco de quedas foi utilizado dois testes da bateria de testes de Rikli & Jones , já para analisar equilíbrio/agilidade foi utilizado o teste de TUG e o teste de alcance funcional. A análise de dados foi realizada a partir do teste “t” para amostras independentes, no programa estatístico SPSS. Resultados e Discussão: No G1 o risco de queda se mostrou ausente em 66,7% da amostra, enquanto no G2 esse número foi de 93,8%. A classificação do risco de quedas apresentou também resultados positivos no grupo praticante de AF. A partir dos resultados pode-se verificar a relevância da AF orientada para idosos na redução do risco de quedas.

Palavras-chave


risco de quedas; envelhecimento; atividade física;

Texto completo: anais