Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, XVII Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte / IV Congresso Internacional de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
GEOINFORMAÇÃO APLICADA A MAUS TRATOS EM IDOSOS
Vera Regina Pontremoli Costa, Aline de Fátima Lago Garlet, Andreia da Conceição Cuti, Rudemar Brizolla de Quadros, José Francisco Silva Dias, Pedro Roberto de Azambuja Madruga

Última alteração: 2011-07-17

Resumo


No Brasil, a violência com idosos no meio acadêmico carece de estudos. Pouco se têm discutido sobre a violência, a negligência, o abuso e os maus-tratos com os idosos; se fazem necessários dados mais concretos. A pesquisa teve como objetivo identificar e mapear áreas de maior vulnerabilidade para casos de maus-tratos notificados através da Delegacia por idosos. Estabeleceram-se categorias: idade, sexo, estado civil, bairro, grau de instrução e profissão do agredido, além do tipo de agressão declarada, grau de parentesco. Elaborou-se um mapa cadastral que identificasse no ambiente urbano do município a espacialização dos agredidos, gerando assim as relações entre as categorias elencadas. Os dados referem aos anos de 2007/2008 e foram coletados na Delegacia do Idoso do município através do Boletim de Ocorrência. Utilizou-se o softwear Statistica versão 7.0; SIG e programa Arcmap 9.3 como ferramentas para a elaboração de um banco de dados criando fonte de informação para novas políticas públicas de planejamento referentes aos idosos do município, ressaltando para que o Estatuto do Idoso seja exercido. Concluiu-se, que a agressão física foi a mais freqüente, na faixa etária de 70-79 anos com predominância no sexo feminino.