Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, XVIII Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e V Congresso Internacional de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
O OLIMPISMO COMO ESTRATÉGIA PARA A PRODUÇÃO E CONSERVAÇÃO DA HEGEMONIA
Guilherme Afonso Marins, Fabiano Antonio dos Santos, Hellen Jaqueline Marques

Última alteração: 2013-07-06

Resumo


O objetivo deste trabalho é investigar os princípios norteadores do Olimpismo, amplamente divulgados por meio dos Comitês Olímpicos Nacionais, e suas relações com a formação do homem de novo tipo, defendida pela UNESCO através da concepção do “saber ser”. Para tanto, partimos da análise de dois documentos considerados centrais na difusão deste ideário: a Carta Olímpica e o Relatório da UNESCO, denominado “Educação: um tesouro a descobrir”. Conclui-se que o Olimpismo é muito mais que uma proposta “despretensiosa” de defesa da paz ou da possibilidade de convivência solidária e harmoniosa entre as pessoas; é, antes, uma estratégia que difunde e desperta o imaginário de construção de um homem conformado aos ditames sociais hegemônicos.

Texto publicado na íntegra como suplemento da RBCE:
http://rbceonline.org.br/revista/index.php/RBCE

Palavras-chave


Hegemonia; Olimpismo; Saber Ser; Megaeventos.