Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, XIX Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VI Congresso Internacional de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
LAZER, SUSTENTABILIDADE E MEIO AMBIENTE: COMPREENSÕES DE ESTUDANTES, PROFESSORES LATINO-AMERICANOS DE PÓS-GRADUAÇÃO
Rodrigo Lage Silva, Christanne Luce Gomes, Rodrigo Elizalde, Mirleide Chaar Bahia, Leonardo Lincoln Lacerda

Última alteração: 2015-11-19

Resumo


O presente artigo tem como objetivo compreender de que maneira o lazer pode colaborar com a sustentabilidade a partir da visão de estudantes, professores e colabores de pós-graduação. A metodologia da pesquisa contemplou três estratégias de coleta de informação: pesquisa bibliográfica, questionário e entrevista. Os voluntários da pesquisa apontaram que o lazer pode contribuir de alguma forma com a sustentabilidade. Além disso, foi evidenciado que a relação entre as duas temáticas deve ser abordada de forma cuidadosa, pois sua interação pode tanto refletir num avanço quanto um retrocesso no que diz respeito aos desafios ambientais atuais.

Palavras-chave


lazer; sustentabilidade; américa latina

Referências


BANERJEE, S. Quem sustenta o desenvolvimento de quem? O desenvolvimento sustentável e a reinvenção da natureza. In: FERNANDES, M.; GUERRA, L. (Orgs.). Contra-discurso do desenvolvimento sustentável. 2 ed. Belém, Associação de Universidades Amazônicas, 2006. p. 77-128.
BRAMANTE, A. Lazer: concepções e significados. Licere, n. 1, v. 1. (p. 37-43). Belo Horizonte: CELAR/UFMG, 1998.
DUMAZEDIER, J. Sociologia empírica do lazer. São Paulo: Perspectiva, 1979.
DUMAZEDIER, J. Lazer e cultura popular. São Paulo: Perspectiva, 1976.
ELIZALDE, R. Resignificación del ocio: aportes para un aprendizaje transformacional. Revista Polis, Santiago, V. 9, Nº 25. 2010. Disponível em: . Acesso: 21 jul. 2014.
GOMES, C; ELIZALDE, R. Produção de conhecimentos sobre o lazer na América Latina. Desafios e Perspecticas. In: ISAYAMA, H. F.; OLIVEIRA, M. T (orgs.). Produção de conhecimento em Estudos do Lazer: paradoxos, limites e possibilidades. Belo Horizonte: UFMG, 2014.
GOMES, C; ELIZALDE, R. Horizontes latino-americanos do lazer/Horizontes latino-americanos del ocio. Belo Horizonte: UFMG, 2012.
GOMES, C. Lazer e Formação Profisional: Saberes necessários para qualificar o processo formativo. In: FORTINI, J. L. M.; GOMES, C.; ELIZALDE, R. (orgs.) Desafios e Perspectivas da educação para o lazer. Belo Horizonte: SESC/OTIUM, 2011.
GOMES, C. Lazer, trabalho e educação: Relações históricas, questões contemporâneas. 2.ed.rev/atu. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.
GOMES, C. Lazer e trabalho. Brasília: SESI/DN, 2005.
GOMES, C.L. Lazer: Necessidade Humana e Dimensão da Cultura. RBEL, n.1,v.1, Belo Horizonte, 2014. p. 3-20. Disponível em: < https://seer.lcc.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/327/227>. Acesso em 12 de mar. 2015.
GOMES, C. L. Estudos do Lazer e geopolítica do conhecimento. Licere, v.14, n.3, Belo Horizonte, 2011. p.1-25. Disponível em: < http://www.anima.eefd.ufrj.br/licere/sumario.html?ed=29> Acesso em 27/02/2013.
LAVILLE, C; DIONNE, J. A construção do saber: Manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed, 1999.
MARCELLINO, N. Lazer: Concepções e Significados. Revista Licere, N 1. Belo Horizonte: CELAR/UFMG, 1998.
MARCELLINO, N. Lazer e educação. Campinas: Papirus, 1990.
MARCELLINO, N. C. Lazer e educação. Campinas: Papirus, 1987.
MARCELLINO, N. Lazer e humanização. Campinas: Papirus, 1983.
MUNNÉ, F. Psicosociología del tempo libre: Un enfoque crítico. México: Trillas, 1980.
REDCLIFT, M. Os novos discursos da sustentabilidade. In: FERNANDES, M.; GUERRA, L. (Orgs.). Contra-discurso do desenvolvimento sustentável. Belém, Associação de Universidades Amazônicas, 2006. p. 51-76.
ROJEK, C. The labor of leisure: The culture of free time. London: SAGE Publications, 2009.
SACHS, I. Pensando sobre o Desenvolvimento na Era do Meio Ambiente. In: SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2002, p. 47­63
SANTOS, B. de S. Crítica de la razón indolente. Contra el desperdicio de la experiencia. Bilbao: Desclée de Brouwer, 2003.
SANTOS, B. de S. Globalização: fatalidade ou utopia. Porto: Edições de Afrontamento, 2001.
TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.
UNESCO. Educación para um futuro sostenible: una visión transdisciplinaria para una acción concertada. Paris: Unesco, EPD-97/CONF.401/CLD.1, 1997.
WAICHMAN, Pablo. Tiempo libre y recreación: Un desafío pedagógico. Buenos Aires: PW Ediciones, 1993.
WCED – World Commission on Environment and Development: Our Common Future. Oxford: Oxford University Press, 1987.

Texto completo: PDF