Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, XIX Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VI Congresso Internacional de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DO EQUILÍBRIO DINÂMICO DE ESCOLARES
Eurico Barcelos dos Santos, Marta Cristina Rodrigues da Silva, Rafael Cunha Laux, Heitor dos Santos Daronch, Rosalvo Luis Sawitzki, Sara Teresinha Corazza

Última alteração: 2015-08-11

Resumo


O equilíbrio é a capacidade de manter a massa corpórea sob uma base de apoio, seja ela de forma estacionária ou em movimento (ALMEIDA, VERAS e DOIMO, 2010). O equilíbrio subdivide-se em equilíbrio dinâmico e estático. O equilíbrio dinâmico (ED) é quando o corpo encontra-se em um movimento estável, ou seja, o movimento é controlado, sem alterações significantes na trajetória desejada mesmo quando da existência de perturbações ambientais (SHUMWAY-COOK e WOOLLACOTT, 2003). Participaram 155 sujeitos entre 6 e 8 anos. Para descrição e análise de resultados os sujeitos foram subdivididos em grupos etários, tendo como critério a idade em meses. A tarefa de equilíbrio dinâmico Subteste 2 / item 7 de Bruininks-Oseretsky Test of Motor Proficiency (1978) consiste na realização de 6 (seis) passos para trás sobre a trave de equilíbrio, tocando a ponta do pé de trás no calcanhar do pé da frente. A tarefa deve ser realizada duas vezes seguidas. O número de passos corretos é convertido em uma pontuação conforme manual do protocolo. Para a análise descritiva das médias e desvio padrão utilizou-se o Microsoft Oficce Excel 2010. Os resultados do grupo 6I mostraram média de 1,53±0,91 pontos. O valor de pontuação pode ser considerado baixo, pois está abaixo de 50% do escore máximo de pontuação. O grupo 6II, a média foi de 1,92±1,10 pontos para a tarefa. A média dos escores do grupo em relação à escala de interpretação os resultados se aproxima de 50% em relação à pontuação máxima na escala. O grupo 7I obteve média de 1,87±0,96 pontos, em relação à pontuação máxima. Este grupo não chega a obter 50% do total dos pontos que é recomendado. A média do grupo 7II foi de 2,17±1,09 quando convertidos os passos corretos para a escala de interpretação. Neste grupo já se percebe que o aproveitamento está acima de 50% do escore máximo. Para o grupo 8I, a média de pontos foi de 2,44±1,07 pontos. Estas pontuações nos mostram que este é o grupo mais proficiente para a tarefa, estando acima dos 60% de êxito na realização da tarefa. Percebe-se que os resultados para os 5 grupos mostram-se de acordo com a literatura, quando os grupos mais jovens possuem escores menores que os grupo com idade maior. Também é um fenômeno absolutamente normal os resultados de 6II e 7I, quando o grupo mais jovem apresenta proficiência maior. Portanto, o comportamento da capacidade motora equilíbrio dinâmico estão caminhando em direção à maturação dos sistemas neurológicos e também motores.

Palavras-chave


Equilíbrio Postural; Estudantes;

Referências


ALMEIDA, APPV; VERAS, RP; DOIMO, LA. Avaliação do equilíbrio estático e dinâmico de idosas praticantes de hidroginástica e ginástica. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum, 12(1):55-61, 2010.
BRUININKS, R.H. Bruininks-Oseretsky test of motor proficiency: examiner´s manual. Minnesota American Guidance Service, 1978.
CAETANO, MJD; SILVEIRA, CRA; GOBBI, LTB. Desenvolvimento motor de pré-escolares no intervalo de 13 meses. Rev. Bras. Cineantropom. Desempenho. Hum.; 7(2):05-13, 2005.
ROSA NETO, F; SANTOS, APM; XAVIER, RFC; AMARO, KN. A importância da avaliação motora em escolares: análise da confiabilidade da escala de desenvolvimento motor. Rev Bras de Cineant e Desemp Hum, 12(6): 422-427, 2010.
SÁ, VW; PEREIRA, JS. Influência de um programa de treinamento físico específico no equilíbrio e coordenação motora em crianças iniciantes em judô. Rev. Bras. Ciên. e Mov. V. 11 N. 1 P. 45-52: 2003.
SHUMWAY-COOK, A; WOOLLACOTT, MH. Controle Motor: Teoria e aplicações práticas. 2ª ed. Barueri: Manole, 2003.

Texto completo: PDF