Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, XIX Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VI Congresso Internacional de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
ADENTRANDO O “RINGUE ESCOLA”... HORA DE BRINCAR/LUTAR? COTIDIANO E PRÁTICAS CORPORAIS INFANTIS
Mayrhon José Abrantes Farias, Ingrid Dittrich Wiggers

Última alteração: 2016-01-21

Resumo


O presente trabalho apresenta problematizações em torno das brincadeiras de luta como práticas corporais vivenciadas por crianças de uma escola pública de São Luís - MA. Para tanto, realizamos um estudo de inspiração etnográfica, em que a análise das informações obtidas permitiu identificar três eixos de significado. Tais eixos revelaram que as crianças representam nestas brincadeiras confrontos forjados no cotidiano, seja por intermédio de conteúdos midiáticos ou de vivências concebidas na comunidade e na escola.

Palavras-chave


Criança; brincadeira; violência

Referências


BARREIRA, C. R. A. Uma análise fenomenológica da luta corporal e da arte marcial. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISAS E ESTUDOS QUALITATIVOS, IV, Rio Claro, 2010. Anais... UNESP, 2010. Disponível em: Acesso em: 24/05/2013.

BELLONI, M. L. Crianças e mídias no Brasil: cenários de mudança. Campinas: Papirus, 2010.

BROUGÈRE, G. Brinquedo e cultura. Tradução: Gisela Wajskop. São Paulo, Cortez, 2004.

BUCKINGHAM, D. Crescer na era das mídias eletrônicas. Tradução: Gilka Girardello e Isabel Orofino. São Paulo: Loyola, 2007.

CAILLOIS, R. Os jogos e os homens. Tradução: José Garcez Palha. Lisboa: Cotovia, 1990.

CORSARO, W. Entrada no campo, aceitação e natureza da participação nos estudos etnográficos com crianças pequenas. Educ. Soc., Campinas, v.26, n.91, mai./ago., 2005.

CUNHA, C. T. Traços da cultura infantil: um estudo com grupos de crianças que brincam livremente. 2004. 168 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade de Campinas, Campinas, 2004.

FARIA, M. C. M. et al. Atividades motoras cotidianas e suas influências no desenvolvimento de pré-escolares. Movimento. Porto Alegre, v. 16, n. 01, p. 113-130, jan./mar., 2010.

FERNANDES, F. Folclore e mudança social na cidade de São Paulo. Petrópolis: Vozes, 2004.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

GIRARDELLO, G. Televisão e imaginação infantil: histórias da Costa da Lagoa. 1998. 349 f. Tese (Doutorado em Jornalismo),Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

GOBBI, M. Desenho infantil e oralidade. In: FARIA, A. L. G. de. et al. (Orgs.) Por uma cultura da infância: metodologias de pesquisa com crianças. Campinas: Autores Associados, 2002. p. 69 - 92.

GRAUE, M. E.; WALSH, D. J. Investigação etnográfica com crianças: teorias, métodos e ética. Lisboa: Triunfadora-artes gráficas, 2003.

HELLER, Á. Sociología de la vida cotidiana. Tradução: J. F. Yvars e E. Pérez Nadal. Barcelona: Península, 1977.

JONES, G. Brincando de matar monstros, por que as crianças precisam de fantasia, videogames e violência de faz-de-conta. São Paulo: Conrad Livros, 2004.

KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do esporte. 6.ed. Ijuí: Unijuí, 2004.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MUNARIM, I. Brincando na escola: o imaginário midiático na cultura de movimento das crianças. In: PIRES, G. L.; RIBEIRO, S. D. (Orgs.) Pesquisa em educação física e mídia: contribuições do Labomídia/UFSC. Florianópolis: Tribo da Ilha, 2007.

PAIS, J. M. Máscaras, jovens e “escolas do diabo”. Revista Brasileira de Educação. v. 13 n. 37,p.07-21, Rio de Janeiro, jan./abr. 2008.

_______. Nas rotas do quotidiano. Revista Crítica de Ciências Sociais, n.º 37, p.105 – 115, Coimbra, jun./1993.

SILVA, A. M.; DAOLIO, J. Análise etnográfica das relações de gênero em brincadeiras realizadas por um grupo de crianças de pré-escola: contribuições para uma pesquisa em busca dos significados. Movimento, Porto Alegre, v.13, n. 01, p.13-37, jan./abr., 2007.

SOARES, C. L. Práticas Corporais: Invenção de pedagogias? In: SILVA, A. M.; DAMIANI, I. R. (Orgs.). Práticas corporais: gênese de um movimento investigativo em educação física. v. 1. Florianópolis: Nauemblu Ciência & Arte, 2005.

SIQUEIRA, I. B.; WIGGERS, I. D.; SOUZA, V. P. O brincar na escola: relação entre o lúdico e a mídia no universo infantil. Revista Brasileira de Ciências do esporte, Florianópolis, v.34, n.2, p.313-326, abr./jun., 2012.

WIGGERS, I. D. Cultura corporal infantil: mediações da escola da mídia e da arte. Revista Brasileira de Ciências do esporte, Campinas, v.26, n.3, p.59-78, mai./2005.