Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, XIX Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VI Congresso Internacional de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
ESPORTE EDUCACIONAL E A CONSOLIDAÇÃO DOS LEGADOS DOS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS
Ana Luiza Barbosa Anversa, Patric Paludett Flores, Arestides Pereira da Silva Júnior, Fabiane Castilho Teixeira, Camila Rinaldi Bisconsini, Amauri Aparecido Bássoli de Oliveira

Última alteração: 2015-07-02

Resumo


INTRODUÇÃO
A temática megaeventos esportivos vem sendo discutida por pesquisas do âmbito científico (MARCELLINO, 2013; BARNABÉ; STAREPRAVO, 2014; MARINHO; NASCIMENTO; OLIVEIRA, 2014; SILVA et al., 2015), uma vez que tais eventos possuem caráter significativo por onde acontecem e estabelecem legados tangíveis e intangíveis a partir de suas realizações.
Silva et al. (2015) apontam que os países estão cada vez mais dispostos a investir nos megaeventos, posto que seus legados podem se refletir na reestruturação econômica, aumento dos investimentos públicos e privados e na promoção de uma imagem positiva da cidade. Villano et al. (2008) destacam que há cinco categorias de possíveis legados dos megaeventos esportivos: conhecimento, governança, imagem do país sede, candidatura do evento e o evento em si, cabendo a esse último a realização de eventos, incentivo a prática de atividade física, valorização da cultura esportiva, investimento em estruturas físicas e materiais, entre outros.
Frente a este cenário, o esporte educacional, tendo por objetivo o desenvolvimento integral do sujeito e sua formação para o exercício da cidadania e prática do lazer evitando a seletividade, a hipercompetitividade (BRASIL, 1998), pode vir a ser potencializado a fim de contribuir para a consolidação dos legados dos megaeventos esportivos.

OBJETIVO
Verificar quais ações, realizadas em um Programa Social Esportivo, podem potencializar o esporte educacional na consolidação dos legados dos megaeventos esportivos.

METODOLOGIA
Optou-se pela pesquisa qualitativa do tipo descritiva. Participaram 513 recursos humanos vinculados a 27 convênios do Programa Segundo Tempo (PST), divididos pelas cinco regiões geográficas do país (norte, nordeste, sudeste, centro-oeste e sul), sendo 25 Coordenadores Gerais (CG), 23 Coordenadores Pedagógicos (CP), 267 Coordenadores de Núcleo (CN) e 198 Monitores (MO). Por meio do aplicativo Google Docs foi disponibilizada a seguinte questão “Cite algumas ações que podem potencializar o esporte educacional para a consolidação dos legados dos megaeventos esportivos.”. As respostas foram analisadas segundo as indicações de Bardin (2011), para a análise de conteúdo e apresentadas por frequência (f).
Ressalta-se que a pesquisa é integrante do projeto “Análise da política pública relacionada ao esporte educacional: o caso do Programa Segundo Tempo – proposta pedagógica e formação dos recursos humanos”, aprovado na Chamada ME/CNPq N° 091/2013. A pesquisa tem autorização do Departamento de Desenvolvimento e Acompanhamento de Políticas e Programas Inter setoriais (DEDAP) do Ministério do Esporte para coleta de dados e foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisas da Universidade Estadual de Maringá (UEM), sob o Parecer 692.014/2014.

ANÁLISE E DISCUSSÃO
Nesse momento são apresentadas as ações indicadas pelos recursos humanos vinculados aos convênios do PST, os quais as destacam a partir de suas experiências, vivências e envolvimento junto às práticas didáticas e pedagógicas do Programa, que podem potencializar o esporte educacional para a consolidação dos legados dos megaeventos esportivos.
Dentre as ações mencionadas pelos participantes destaca-se a realização de eventos culminantes (193 f) (realização de campeonatos, gincanas, torneios, palestras, festivais, etc.) que pode vir a ser uma possibilidade de incentivo a conhecer o esporte em suas múltiplas modalidades e contextos, remetendo ainda a apreciação, compreensão e envolvimento da comunidade com o esporte.
O incentivo à prática de atividade física e esportiva (91 f), mesmo ainda havendo um grande distanciamento entre a realização desses eventos e o crescimento da prática de atividade física e esportiva pela população das cidades ou países sedes (COAKLEY, SOUZA, 2013; MOSER, 2013). Para que ocorra essa aproximação se faz necessário o fortalecimento das ações e programas governamentais (89 f) que incentivem e legitimem a prática e um estilo de vida ativo na sociedade, além de potencializar e valorização da Cultura Olímpica (76 f). Rubio (2010) destaca a importância de assimilar o conceito flair-play e seus valores como um legado fundamental na transformação e busca da sociedade que tanto almejamos.
Outra ação destacada refere-se à disponibilização e acesso à estrutura física e materiais adequados para a prática esportiva (61 f), traduzindo a importância do acesso a espaços públicos pela comunidade, bem como, a disponibilização de materiais de qualidade no intuito de motivar a população à prática esportiva de diferentes modalidades.
Ressaltou-se também, que deve ocorrer o incentivo à atualização profissional (56 f), uma vez que, com base em Darido et al. (2014) ao se investir na formação dos profissionais podem auxiliar a consolidar diferentes estratégias e práticas pedagógicas, inovações no ensino dos esportes, qualidade no atendimento e professores capazes de criticar e contextualiza os megaeventos esportivos em suas aula.
Além das ações discutidas, outras foram indicadas com menor frequência, sendo: identificação e incentivo a formação de atletas, ações conjuntas entre agentes sociais e instituições, valorização do esporte enquanto fenômeno multifacetado, discussão dos legados no contexto escolar, valorização da participação feminina no esporte, criação de centros de treinamento e disponibilização de materiais informativos sobre os legados.

CONCLUSÕES
Em face aos dados apresentados nesta pesquisa, conclui-se que as principais ações apresentadas pelos recursos humanos deste Programa Social Esportivo (realização de eventos culminantes, incentivo à prática da atividade física e esportiva, disponibilização e acesso à estrutura física e materiais adequados, atualização profissional) se constituem como aspectos indispensáveis na materialização do esporte educacional e na constituição dos legados dos megaeventos esportivos.
Para aprimorar e ampliar as possibilidades de potencializar o esporte educacional na materialização dos legados dos megaeventos esportivos, destaca-se a importância das ações elencadas serem pensadas e consideradas pelas ações governamentais e gestores dos programas sociais esportivos, a fim de analisar/experimentar possibilidades efetivas de concretização dos legados dos megaeventos esportivos no Brasil e atendimento a um número maior de participantes.

Palavras-chave


Esporte Educacional; Legados; Megaeventos Esportivos.

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229 p.
BARNABÉ, A.P.; STAREPRAVO, F.A. Megaeventos esportivos: o desenvolvimento do legado esportivo educacional. Revista Pensar a Prática, v. 17, n.2, 2014.
BRASIL. Lei 9615 de 24 de março de 1998. Institui normas gerais sobre o desporto e dá outras providências. 1998.
COAKLEY, J.; SOUZA, D. L. Sport mega-events: can legacies and development be equitable and sustainable? Motriz: Revista de Educação Física, Rio Claro, v19, n3, jul/sep, 2013. p. 580-589.
DARIDO, S. C.; RODRIGUES, H. A.; RUFINO, L. G. B.; SOUZA JUNIOR, O. M. Os megaeventos esportivos no Brasil: algumas possibilidades para a Educação Física escolar e a formação profissional continuada como legado. In: MARINHO, A.; NASCIMENTO, J. V.; OLIVEIRA, A. A. B. Legados do esporte brasileiro. Florianópolis: Ed. da UDESC, 2014. MARCELLINO, N. C. (Org.). Legados de Megaeventos Esportivos. Campinas: Papirus, 2013.
MARINHO, A.; NASCIMENTO, J. V.; OLIVEIRA, A. A. B. Legados do esporte brasileiro. Florianópolis: Ed. da UDESC, 2014.
MOSER, A. Instituto Esporte & Educação: à espera de uma política esportiva. 2013. Disponível em: www.esporteeducacao.com.br. Acesso em: 22 de janeiro de 2015.
RUBIO, K. Valores olímpicos no recreio nas férias. In: OLIVEIRA, A. A. B.; PIMENTEL, G. G. A. (Org.). Recreio nas férias e os valores olímpicos. Maringá: Eduem, 2010.
SILVA, E. A. P. C et al. O jogo das cidades em tempos de megaeventos esportivos: algumas reflexões. Movimento, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 249-260, jan./mar. de 2015.
VILLANO, B.; TERRA, R. Definindo a temática de Legados de Megaeventos Esportivos. In: DaCOSTA et al. (org.). Legado de Megaeventos Esportivos. Brasília: Ministério do Esporte, 2008. p. 103-106.

Texto completo: PDF