Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, XIX Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VI Congresso Internacional de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
Saberes e competências relacionadas à gestão de políticas públicas de esporte e lazer
Bruno Ocelli Ungheri, Helder Ferreira Isayama

Última alteração: 2015-07-02

Resumo


O esporte e o lazer são direitos sociais garantidos pela Constituição Brasileira de 1988, ou seja, as políticas públicas desenvolvidas pelos governos devem focalizar sua promoção e acesso junto à sociedade. Com isso, a percepção dos profissionais que as desenvolve é relevante para se compreender as competências, habilidades e saberes necessários para uma atuação profissional condizente com os objetivos das políticas propostas. Nesse contexto, trato da análise do perfil dos profissionais que, em diferentes graus, gerenciam as políticas públicas de esporte e lazer na Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Belo Horizonte (SMEL). O órgão é responsável pelo desenvolvimento de projetos e programas que visam a garantia do esporte e do lazer como direitos sociais da população que reside no município; além disso, a gestão dos equipamentos, infraestrutura e eventos também compõe suas responsabilidades. Para tanto, utilizei uma abordagem qualitativa que envolveu pesquisa bibliográfica e pesquisa de campo. Para o desenvolvimento da pesquisa bibliográfica busquei analisar obras e periódicos que abordassem política, políticas públicas, suas possibilidades de desenvolvimento no que tange ao esporte e ao lazer, bem como um referencial sobre formação e atuação dos profissionais envolvidos neste percurso. A pesquisa de campo se deu em duas etapas distintas, sendo a primeira uma imersão no campo de estudo, complementada pela realização de 9 entrevistas semiestruturadas com oito analistas e um gestor. A primeira etapa me permitiu observar as relações cotidianas estabelecidas na SMEL, bem como conhecer seus programas e os profissionais responsáveis pelo seu desenvolvimento. Já a fase de entrevistas permeou a percepção dos entrevistados sobre a sua atuação profissional, focalizando seu processo de formação, suas responsabilidades, as particularidades de seu cotidiano e suas angústias. Através das análises propostas, pude perceber que existem dois caminhos complementares à atuação profissional nas políticas públicas de esporte e lazer. O primeiro se refere à formação inicial (ou formal) dos sujeitos, quando estes são apresentados aos conteúdos específicos da área de atuação que escolhem – com pouco, ou nenhum aprofundamento nos conhecimentos relacionados às políticas públicas. Este processo se complementa com a prática, ou seja, com a entrada do profissional no mercado de trabalho. Com isso, as dificuldades e as problemáticas vividas em campo permitem ao profissional identificar as lacunas de sua formação, que no contexto analisado, se relacionam principalmente com os saberes ligados à gestão. Isto porque os analistas atuam como gestores de cada programa desenvolvido na SMEL, sendo responsáveis diretos pelo controle financeiro, pela condução das equipes de trabalho, pelo planejamento estratégico das ações e pelo relacionamento com a comunidade. Nessa perspectiva, nota-se que o perfil para atuação nas políticas públicas de esporte e lazer é composto por uma tríade que envolve os saberes específicos da área de atuação, conhecimentos sobre política e, por fim, domínio dos principais conteúdos relacionados à gestão.

Palavras-chave


políticas públicas; atuação profissional; lazer.

Referências


BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977. 223 p.
MARCELLINO, N. C.; SAMPAIO, T. M. V.; CAPI, A. H. C.; SILVA, D. A. M. Políticas públicas de lazer- formação e desenvolvimento de pessoal: os casos de Campinas e Piracicaba. Curitiba: Opus, 2007.

Texto completo: PDF